Posts com tag “traição

Pesquisa afirma que pessoas poderosas traem mais

Quem trai mais: o homem ou a mulher? A resposta para esta pergunta costuma ser sempre a mesma.

Em coro, afirmamos que o sexo masculino é o mais infiel. Mas parece que as coisas estão mudando. Segundo pesquisa realizada pela Universidade de Tilburg, na Holanda, entre as pessoas que ocupam posições de poder, independente do sexo, o risco de traição é maior.

A pesquisa comandada pela equipe do professor Joris Lammers, foi realizada na internet com 1.561 profissionais adultos. Na amostra, 58% das pessoas exerciam funções gerenciais, 22% eram gerentes, 14% diretores e 6% ocupavam os cargos mais altos das empresas. O objetivo era medir força, pedindo aos participantes para indicar, clicando com o mouse, o quão poderoso eles achavam que eram.

O grupo de pesquisadores mediu também outras variáveis, como confiança, distância e percepção de risco no que tange a infidelidade. A conclusão foi que a relação entre poder e confiança é tão grande quanto a existente entre o poder e a infidelidade. Outra constatação é que entre as pessoas de altos cargos a traição não tem relação com sexo ou com o número de casos anteriores.

O terapeuta especializado em relacionamentos amorosos, Sergio Savian, concorda com a pesquisa e afirma que o resultado coincide com a observação que faz em seu consultório. “Homens e mulheres poderosos estão acostumados ao comando e fazer com que as circunstâncias e as relações aconteçam da forma que eles planejam.

Além disso, o poder torna o indivíduo mais atraente, magnético e isto facilita a conquista”, diz. “Na verdade, a sedução é um jogo de poder, quando o sedutor faz com que os alvos de sua sedução se rendam aos seus encantos”.

Sérgio acredita que o estudo tende a colocar a moral convencional em debate, pois a noção de que ninguém manda na vida de ninguém será maior e as pessoas passarão a tomar posse de sua própria sexualidade. “As relações não monogâmicas não serão mais predominantes no sexo masculino e com as mulheres ocupando cada vez mais funções de poder, os comportamentos tendem a se tornar unisex”, comenta. “Os homens, que estavam acostumados a deter o poder nas relações, têm agora que se adaptar ao novo comportamento feminino”.

Outra mudança de comportamento decorrente da pesquisa, na opinião do terapeuta, é o aumento da consciência por parte do sexo feminino, que deve abrir mão da hipocrisia e dos julgamentos para assumir uma atitude mais autêntica. “Durante muito tempo as mulheres acusaram os homens por seu comportamento infiel. Mas agora que experimentam a liberdade de agirem de acordo com sua vontade, transgridem as regras que elas mesmas defendiam até pouco tempo atrás”.
Savian finaliza defendendo que o poder independe de cargo ou função de comando. Seja no convívio familiar, no trânsito ou na internet, as pessoas querem ter o direito de opinar, de participar. “Vendo desta forma, podemos concluir que os indivíduos na sociedade atual têm cada vez mais noção de seu poder pessoal e, seguindo o raciocínio da pesquisa, todos estão mais propensos às relações não monogâmicas”.


SecondLove – site que incentiva a traição

Fugir da monotonia dos relacionamentos estáveis. Com esta temática, foi lançado no Brasil, o SecondLove, um site destinado às pessoas casadas que queiram flertar temporariamente com desconhecidos, receber mais atenção ou até conhecer os frequentadores da rede pessoalmente.

Grande parte dos usuários tem entre 35 e 55 anos, que, segundo Anabela Santos, porta-voz do serviço no Brasil, é o mesmo padrão de comportamento em todos os outros países onde o site já chegou. “A opção de ir além de um simples bate-papo virtual é de cada usuário. Em muitos casos, os nossos membros simplesmente gostam de flertar e compartilhar experiências. Dessa forma reduzem a monotonia que pode haver numa relação longa”.

Ao ser questionada sobre o incentivo que o site dá à infidelidade, Anabela declara: “Nós não obrigamos ninguém a se inscrever no Second Love. Nós acreditamos que os casais dos nossos tempos querem escapar da rotina e viver novas experiências. O problema é que, muitas vezes, essas fantasias são realizadas com alguém do grupo de trabalho ou do círculo de amigos, motivo pelo qual a maior parte dos casamentos termina”.

A idade mínima para fazer o cadastro é de 25 anos. As mulheres podem se inscrever gratuitamente no site, diferente dos homens, que pagam um valor de acordo com o plano contratado. Os preços promocionais são R$ 29,95 (um mês), R$ 119 (três meses) e R$ 168 (seis meses). Como o nome verdadeiro é mantido em sigilo, os usuários utilizam apelidos. Podem também colocar fotos e definir quais informações serão visualizadas. “A diferença é que SecondLove as pessoas estão na mesma situação. Assim, a abordagem é facilitada”, comenta Anabela.

Evitando polêmica, a porta-voz garante que a intenção do site não é incentivar a traição, mas sim dar uma “apimentada” na relação. Na opinião da antropóloga Mirian Goldenberg, esse serviço pode funcionar sim, mas para determinados tipos de casais. “Não dá mais para falar em relação no singular, as pessoas têm todos os tipos de fantasias e desejos. Portanto, pode ser que os apreciadores do swing ou do casamento aberto se interessem pelo serviço. Mas esses perfis não correspondem à grande maioria, nem aqui no Brasil e nem e outras partes do mundo”.

Mirian estuda relacionamentos há mais de 20 anos e garante que a fidelidade é o principal valor defendido por muitos casais. “Eles preferem não trair e permanecerem com a pessoa que escolheram e garantir a relação, apesar da diversidade que encontramos no mercado afetivo e sexual atual”. A antropóloga acredita também que serviços como o de SecondLove não são capazes de ameaçar a tradicional troca de alianças. “Nada põe fim ao casamento. Ele poderá ser reestruturado e as pessoas vão passar a procurar novas formas de se sentirem satisfeitas dentro dele. Mas ele nunca vai acabar”.

O serviço foi inaugurado em 2008, na Holanda e já conta com 180 mil membros. Na Bélgica são mais de 25 mil. E na Espanha, onde o site está disponível desde abril, já são 12 mil cadastrados. “Em Portugal o Second Love estará online no dia 1º de junho e nos parece também muito promissor”, diz. Para o Brasil, Anabela tem planos: “Esperamos transformar o SecondLove numa plataforma bem sucedida e confiável para os brasileiros. A segurança e o anonimato dos nossos membros são muito importantes para nós, bem como mantermos um nível elevado na qualidade e serviços.”


Isso é que é ser generosa com a família!

Natália Silva Douras de 19 anos, casada, amante do sogro e do cunhado!

No interior de Minas Gerais, na cidade de Caxambu, a 275 Km de Belo Horizonte, uma história no mínimo curiosa constrangeu os 21 mil habitantes da localidade. A jovem Natália Silva Douras de 19 anos, casada desde os 16 com o agricultor Pedro Campostrini Douras de 25 anos, mantinha relacionamento extraconjugal com o sogro e o cunhado  simultaneamente há cerca de 2 anos.

Natalia foi denunciada pela sogra depois de ser flagrada mantendo relações sexuais com o sogro na cama do casal. Segundo Tânia Douras, de 45 anos, ela já sabia do envolvimento do seu marido com a nora, no entanto havia pactuado com o marido que não usassem a cama do casal para encontros sexuais.

Tânia disse em entrevista que se sentiu traída, pois “ele me traiu duramente. Acho que todo homem tem direito a suas escapadinhas, mas fazer isso na cama do casal é coisa de quem não tem respeito”. O senhor Pedro Douras quando denunciado fez questão de amenizar o teor das denúncias, dizendo que “não era o único boi que pastava naquele pasto”, e provou por meio de fotografias que seu filho já havia participado de encontros sexuais interativos e familiares entre sogro, cunhado e nora.

Natalia não negou a acusação e em depoimento ao delegado José Arigó, disse que seu marido é uma pessoa boa, mas que “não a satisfazia plenamente na cama, por isso, buscou em seu sogro e no cunhado o complemento que faltava a sua felicidade”. Generosa, Natalia disse se preocupar com a reputação de seu marido, para ela “é melhor fazer isso com alguém da família do que com alguém da rua, né? Você sabe como o povo da rua gosta de ‘defamar’ as pessoas”.

 Acima de tudo uma pessoa de bom coração …

Fonte: o tempo online/ MG

Fala sério….Essa menina não tinha TEORIA nehuma….só vivia da PRÁTICA!

Nem sei o que comentar sobre isso. Uma sogra maluca…que só denunciou porque a nora e o marido usaram a sua cama (sim acho que ela ficou com ciúmes da cama…não é possível)

O marido, que segundo depoimento do próprio pai já tinha participado de relações com os 3 (mulher, pai e irmão)

Como disse um amigo:…. “Isso realmente seria um presente a Nelson Rodrigues!”